Valor Justo: Impactos do SFAS 157 nas empresas brasileiras listadas na NYSE

Fátima de Souza Freire, Isabel Cristina Henriques Sales, Jorge Katsumi Niyama, Luciana Miyuki Ikuno

Resumo


Diante do processo de convergência internacional da contabilidade e do aumento da necessidade da transparência e relevância das informações, a verificação do nível de evidenciação de informações contábeis se torna oportuna. O debate sobre a mensuração a valor justo culminou com a publicação do SFAS 157, que engloba o que foi apresentado em diversas normas. Nesse ambiente, esse artigo tem como objetivo analisar o nível da adoção do SFAS 157 nas empresas brasileiras listadas na Bolsa de Nova Iorque (NYSE) com o intuito de verificar o nível de evidenciação das mensurações a valor justo. A análise foi feita por meio das notas explicativas das demonstrações consolidadas anuais no formato 20-F, em dezembro de 2008, tendo em vista a obrigatoriedade da adoção da norma ocorrer a partir deste ano. Destarte, dentre as empresas que estavam em conformidade com os US GAAP, todas adotaram o SFAS 157; entre as que estavam de acordo com os BR GAAP, uma não adotou a norma; dentre as que estavam em conformidade com os IFRS, não  houve menção do SFAS 157 em suas notas explicativas ou requerimento de reconciliação com os US GAAP. A comparação da média total de ativos financeiros (21,97%) e passivos financeiros (1,52%) mensurados a valor justo em relação aos ativos e passivos totais, das empresas que adotaram os US GAAP, mostrou-se incompatível. Nas que adotaram os BR GAAP, a média total de ativos financeiros (12,54%) e passivos financeiros (16,99%) mensurados a valor justo, em relação aos ativos e passivos totais, foram compatíveis.

Palavras-chave


Valor Justo. SFAS 157. Evidenciação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.