Reflexões sobre o trabalho e a subjetividade de trabalhadores resilientes sob o sistema de produção flexível

Silmara Cimbalista

Resumo


O artigo tem como objetivo mostrar elementos que permitam a reflexão sobre a subjetividade de trabalhadores de chão de fábrica de indústrias montadoras de veículos e autopeças, localizadas na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Estado do Paraná, procurando demonstrar que a sobrevivência diária no trabalho sob o sistema de produção flexível está diretamente ligada à atitude resiliente. Entendendo a subjetividade como um movimento dialético, na qual existe uma inter-relação do ser humano consigo mesmo e o seu ambiente, parte-se do pressuposto de que o ambiente da fábrica se apropria da subjetividade do indivíduo por meio das condições de trabalho consideradas adversas no sistema flexível, promovendo, quando a situação exige, o uso da resiliência, entendida como a capacidade humana em enfrentar, vencer e ser fortalecido ou transformado por experiências de adversidade. Com base na pesquisa de campo desenvolvida para a tese de doutoramento da autora, utilizando pesquisa de caráter qualitativo, por meio da interpretação e análise de entrevistas semi-estruturadas, espera-se, como resultado, uma contribuição para a compreensão da subjetividade do trabalhador em situações consideradas adversas no cotidiano do trabalho no ambiente fabril.

Palavras-chave


Sistema de produção flexível. Adversidade. Subjetividade. Resiliência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.