O impacto da reserva legal florestal sobre a agropecuária paranaense, em um ambiente de risco

João Batista Padilha Junior, Ricardo Berger

Resumo


Este artigo trata do impacto sobre a agropecuária perante a efetivação da reserva legal florestal no Estado do Paraná, em um ambiente de risco. Especificamente, verificou-se a perda de área das propriedades rurais, bem como do valor do produto interno bruto cessante da agropecuária. Estimou-se o efeito do risco e da neutralidade de risco sobre os planos ótimos de produção, bem como o risco relativo dos diversos portfólios e a fronteira eficiente da média-variância das melhores alternativas de produção, comparando tais resultados com o plano atual da agropecuária. Os resultados demonstraram que o impacto físico e imediato consiste numa redução de 3,2 milhões de hectares na área das propriedades rurais paranaenses. Em termos econômicos, a efetivação da reserva legal florestal ocasionará um Valor Bruto da Produção Agropecuária - VBP cessante da ordem de R$ 65,5 bilhões ao Estado do Paraná, fora o impacto multiplicador ao longo das principais cadeias produtivas. Para permanecer no nível atual de produção, sob condições de neutralidade de risco, os produtores terão de assumir 25% a mais de risco no conjunto de suas atividades. Para amenizar tal quadro e auxiliar a recompor o VBP cessante da agropecuária, em média, cada hectare de reserva legal florestal no Estado do Paraná deverá ter a capacidade de gerar R$ 1.300,00 por ano, no conjunto das atividades que podem ser manejadas de forma sustentável no seu interior.

Palavras-chave


Reserva legal florestal. Risco econômico. Programação quadrática

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.