Sustentabilidade e oportunidades para a indústria de papel na América Latina

Andréia Schneider, Diego Gracia, Jéssica Golin Brasileiro, Veridiana Giffhon Mayer, Anara dos Santos Wisnievski Miske

Resumo


O presente artigo é um estudo sobre a indústria brasileira exportadora de papel e celulose. Serão listadas as maiores deficiências e as características mais competitivas. Além disso, será abordada a questão da logística e comparadas as possibilidades de expansão com outros grandes mercados de papel e celulose, tratando principalmente sobre a possível entrada mais significativa no mercado latino-americano. Este artigo tem como objetivo geral investigar se a indústria brasileira de papel tem condições técnicas, práticas sustentáveis de produção e condições mercadológicas favoráveis para se tornar um dos líderes no fornecimento de papel no emergente mercado latino-americano. Foi levantada a hipótese de explorar o suposto perfil de sustentabilidade ambiental de produção, bem como as tendências mercadológicas favoráveis em relação ao aumento do consumo de papel na América Latina, possibilitando que a indústria brasileira de papel se torne a maior provedora e exportadora para esse mercado. A metodologia de pesquisa é exploratória, documental e bibliográfica. Foram usados como fonte livros, jornais, artigos científicos, dados de palestras assistidas e pesquisas em websites especializados nas questões de sustentabilidade e indústria mundial de papel e celulose. A pesquisa sobre o crescimento de negócios com a América Latina mostra que isso pode ser viável e que um papel de liderança pode ser alcançado se a indústria continuar crescendo, conforme vem acontecendo nos últimos dez anos. Concluiu-se, portanto, que o mercado latino-americano de papel e celulose é propício e lucrativo para a indústria brasileira exportadora. O tema é relevante e merece contínuo estudo.

Palavras-chave


Indústria de Papel e Celulose. Exportação. Sustentabilidade Ambiental. América Latina

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.