O etanol na estrutura dos biocombustíveis no Brasil

Daniela Ferreira Cordellini

Resumo


Definir a política energética do país é uma questão de soberania. Discussões sobre a participação de fontes renováveis nas matrizes energéticas estão em pauta há algum tempo, e levam em conta o problema atual do aquecimento global. A 21ª Conferência das Partes, COP21, ocorrida em dezembro de 2015 em Paris, reuniu países em torno da discussão sobre o enfrentamento dos problemas ambientais. O Brasil concluiu, em 12 de setembro de 2016, o processo de ratificação do acordo e instituiu metas de redução das emissões de gases de efeito estufa. As políticas em torno do etanol são chave para que o país atinja as metas sustentáveis e seja referência no tema. Esse biocombustível é majoritariamente produzido a partir da cana-de-açúcar, mas outras fontes renováveis, como o milho, estão ganhando espaço na linha de produção. A proposta desse artigo é explorar os fatores que podem influenciar a continuidade e importância do etanol na matriz energética brasileira, os quais podem ser de natureza política, econômica e tecnológica. Como fator político citamos o Programa RenovaBio, o qual vem para estruturar as políticas públicas em torno das obrigações assumidas pelo Brasil na COP 21. Como fator econômico, citamos, por exemplo, o alto investimento necessário (US$ 15 bilhões), até 2023, para suprir a demanda de etanol no país. Por fim, o fator tecnológico remete à produtividade no campo e nas usinas.

Abstract
Defining the country’s energy policy is a matter of sovereignty. Discussions about the share of renewable sources in the energy matrix have been on the agenda for some time, and consider the current problem of global warming. The 21st Conference of the Parties, COP21, held in December 2015 in Paris, brought together countries around the discussion on tackling environmental problems. Brazil concluded, on September 12, 2016, the process of ratification of the agreement and established targets for reducing greenhouse gas emissions. Policies around ethanol are key for the country to reach sustainable goals and be a reference in the theme. This biofuel is mostly produced from sugar cane, but other renewable sources, such as corn, are gaining space on the production line. This article aims to explore the factors that can influence the continuity and importance of ethanol in the Brazilian energy matrix, which may be of a political, economic and technological nature. As a political factor, we mention the RenovaBio Program, which comes to structure public policies around the obligations assumed by Brazil at COP 21. As an economic factor, we mention, for example, the high investment required (US $ 15 billion), by 2023, for the ethanol supply in the country. Finally, the technological factor refers to productivity in the field and in the mills.

Keywords: Ethanol. Cane. Production. Corn. Biofuels.


Palavras-chave


Palavras-chave: Etanol. Cana. Produção. Milho. Biocombustíveis

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.