Ortodoxia e liberalismo no Brasil contemporâneo: ideias, políticas e personagens

Raphael Castro Martins, Ivan Colangelo Salomão

Resumo


O liberalismo encontrou no Brasil uma realidade distinta daquela em que a ideologia surgiu, nos países europeus. A realidade escravocrata fez com que, no Brasil, o liberalismo fosse interpretado por um viés mais político durante o século XIX. A partir dos anos 1940, quando da criação da Fundação Getúlio Vargas, o liberalismo passou a apresentar um tratamento mais técnico e econômico. Nesse sentido, este artigo tem por objetivo sistematizar o pensamento ortodoxo-liberal no Brasil do século XX por meio da atuação de três de seus principais veiculadores: Eugenio Gudin, Roberto Campos e Mario Henrique Simonsen.

Abstract
Liberalism in Brazil encountered a different reality from the one in which it raised in European countries. A slavery society made it be interpreted by a political bias during the nineteenth century. From the 1940s on, when the Getúlio Vargas Foundation was created, liberalism began to present a more technical and economic treatment. In this sense, this paper systematizes the orthodox-liberal thought during the twentieth-century in Brazil through three of its main authors: Eugenio Gudin, Roberto Campos, and Mario Henrique Simonsen.

Keywords: Liberalism. Eugenio Gudin. Roberto Campos. Mario Henrique Simonsen.


Palavras-chave


Liberalismo. Eugenio Gudin. Roberto Campos. Mario Henrique Simonsen

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.