Coesão comunitária: o caso de Portugal e dos seus resultados na última década

Ireneu de Oliveira Mendes, Pedro Miguel Alves Ribeiro Correia, João José Nogueira de Almeida, Luís Filipe Santos Claro Marques

Resumo


Portugal se beneficia desde 1986 de fundos comunitários para se aproximar dos países europeus mais desenvolvidos. O presente artigo tem como objetivo analisar as taxas de execução dos fundos comunitários do Portugal 2020 e as taxas de investimento público nacional, tendo sempre em perspetiva o nível europeu, e perceber o funcionamento do modelo de avaliação comunitária face aos programas operacionais nacionais. Verificamos ainda alguns fatores internos potenciadores da ineficaz execução do Portugal 2020. Foi ainda feita uma análise documental aos dados da Comissão Europeia, Agência para o Desenvolvimento e Coesão, Eurostat. Os resultados obtidos comprovam a elevada dependência de Portugal face aos fundos comunitários, sendo esta maior que os nossos parceiros europeus, sobretudo aqueles que entraram na União Europeia após Portugal.


Palavras-chave


Desenvolvimento Regional. Governança Multinível. Política de Coesão. Investimento Público. Portugal 2020.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.