Desenvolvimento nacional como estratégia de inserção voluntária dos cidadãos à lógica capitalista

Rogério Faé

Resumo


Este artigo propõe uma discussão sobre a posição do governo brasileiro, visto que este atribuiu ao crescimento econômico uma função fundamental em sua agenda atual. O pressuposto de que o crescimento econômico seria uma condição essencial à melhoria das condições sociais levou à edificação de um papel do Estado como indutor do investimento privado, objetivando facilitar a relação entre mercado e governo. Essa estratégia nacional de desenvolvimento, adotada pelo governo federal brasileiro, condicionou o investimento em políticas públicas de cunho social à aceleração do crescimento. Entretanto, o que se conclui ao final deste artigo é que, ao encontrar no conceito de desenvolvimento de capacidades suporte para as ações governamentais na esfera social, as propostas vinculadas à garantia de direitos sociais elementares cumprem fundamentalmente uma função de sustentação da lógica global de mercado e, principalmente, de inserção voluntária dos cidadãos.

Palavras-chave: Desenvolvimento Econômico. Políticas Públicas Pobreza. Desenvolvimento de Capacidades.


Abstract

This paper aims to discuss the Brazilian’s government position that has attributed fundamental role to economic growth in its current agenda. The presupposition that economic growth is an essential condition to improve social conditions leads to a governmental role as inductor of the private investment in order to facilitate the relationship between market and government. National development strategy in which the investments in social policies are dependent of the economic performance. However, according to the concept of development of capacities, government proposals’ are linked with the guarantee of the basic social rights that lead to the defence of the global market logic and, mainly, to the voluntary inclusion of citizens.

Keywords: Economic Development. Public Policies. Poverty. Development of Capacities.


Palavras-chave


Desenvolvimento Econômico. Políticas Públicas Pobreza. Desenvolvimento de Capacidades

Texto completo:

PDF

Referências


Batista Jr, P. N. (1999). Dependência: da teoria à prática, Estudos Avançados, 37 (13), 215-224.

Benjamin, C., Et all. (1998). A opção brasileira, Rio de Janeiro, Contraponto.

Bresser-Pereira, L. C. (2003). Desenvolvimento e crise no Brasil. São Paulo: Editora 34.

Bresser-Pereira, L. C. (2006) O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencional, São Paulo em Perspectiva, 20(3), 5-24.

Bueno, F. M., & Seabra, R. L. (2011). A teoria do subimperialismo brasileiro: notas para uma (re)discussão contemporânea, Trabalho apresentado no 6º Colóquio Internacional Marx e Hegel, Rio de Janeiro, Brasil.

Cardoso, F. H., & Faletto, E. (2000). Dependência e Desenvolvimento na América Latina. In R. Bielschowsky. (org.). Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL (pp. 495-521). Rio de Janeiro: Record.

CEPAL. (1990). Transformação produtiva com equidade: a tarefa prioritária no desenvolvimento da América Latina e do Caribe nos anos 1990. In: R. Bielschowsky. (org.). Cinquenta Anos de Pensamento na CEPAL (pp. 887-910). Rio de Janeiro: Record.

Furtado, C. (1954). Capital formation and economic development. International Economic Papers, 3, 124-144.

Furtado, C. (1992). Brasil: a construção interrompida. São Paulo: Paz e Terra.

Kraychete, E. S. (2011). O Banco Mundial e o Desenvolvimento das Microfinanças em Países da Periferia Capitalista. Tese de Doutoramento, Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

Mercadante, A. (2010). Brasil: a construção retomada. São Paulo: Terceiro Nome.

Rands, M. (2010). A era Lula – desenvolvimento, democracia e cultura política no Brasil. Recife: Bagaço.

Rawls, J. (2012). Justicia como equidad. Madrid: Tecnos.

Rousseff, D. (2011). Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional. Recuperado em 30 maio 2015, em http://www2.planalto.gov.br.

Rousseff, D. (2012). Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de lançamento do Plano Brasil Maior - Brasília/DF. Recuperado em 30 maio 2015, em http://www2.planalto.gov.br.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras.

Sicsu, J., Paula, L. F., & Michel, R. (2007). Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, 27(4), 507-524.

Silva, L. I. L. (2010). Prefácio. In: A. Mercadante, A. Brasil: a construção retomada. São Paulo: Terceiro Nome.

Valencia, A. S. (2008). Teoria da dependência e desenvolvimento do capitalismo na América Latina Londrina: Práxis.

Williansom, J. (1990). Latin American Adjustment. Washington: Institute of International Economics.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.