Considerações sobre os Programas de Transferências Diretas de Renda no Brasil no período de 1998 a 2004

Danielle Pereira de Araújo, Gilson Batista de Oliveira

Resumo


As desigualdades sociais evidenciadas após a Segunda Guerra Mundial tornaram-se alvo de discussões nos órgãos de planejamento dos países em desenvolvimento. O crescimento econômico passou a ser perseguido como a única solução para os problemas sociais. Porém, pesquisas do Banco Mundial e da Organização das Nações Unidas comprovaram a teoria de alguns economistas de que apenas o crescimento não é suficiente, e de que a solução deriva principalmente de uma distribuição mais igualitária da renda. O Brasil é um dos países com pior distribuição de renda do mundo. A nossa situação é bem próxima da de alguns países do continente africano. Como forma de combater a pobreza, o governo federal tem como instrumento as transferências diretas de renda, representadas basicamente pela Previdência Social e pelos Programas de Transferência de Renda, que ganharam maior enfoque em 2001, no segundo mandato do governo de Fernando Henrique Cardoso, e tiveram maior evidência após a criação do Fome Zero, em 2003, no governo Lula.

Palavras-chave


Desigualdade. Transferência. Distribuição. Renda

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.